For A Better Place - Portugal

terça-feira, outubro 04, 2005

Martin Luther King Jr: I Have A Dream


Martin Luther King nasceu a 15 de Janeiro de 1929, em Atlanta, Georgia, filho primogénito de uma família de negros norte-americanos de classe média. O seu pai era pastor baptista e a sua mãe era professora. Com 19 anos de idade, Luther King tornou-se pastor baptista e mais tarde formou-se em Teologia no Seminário de Crozer. Também fez pós-graduação na universidade de Boston, onde conheceu Coretta Scott, uma estudante de música com quem se casou. Nos seus estudos dedicou-se aos temas de filosofia de protesto não violento, inspirando-se nas ideias do indu Mohandas K. Gandhi. Em 1954, tornou-se pastor da igreja baptista de Montgomery, Alabama. Em 1955, houve um boicote ao transporte da cidade como forma de protesto a um acto discriminatório a uma passageira negra. Luther King, como presidente da Associação de Melhoramento de Montgomery, organizou o movimento, que durou um ano. King teve a sua casa bombardeada. Foi assim que ele iniciou a luta pelos direitos civis nos Estados Unidos. Em 1957, Luther King ajuda a fundar a Conferência da Liderança Cristã no Sul (SCLC), uma organização de igrejas e sacerdotes negros. King tornou-se o líder da organização, que tinha como objectivo acabar com as leis de segregação por meio de manifestações e boicotes pacíficos. Vai à Índia em 1959 estudar mais sobre as formas de protesto pacífico de Gandhi. No início da década de 60, King liderou uma série de protestos em diversas cidades norte-americanas. Organizou manifestações para protestar contra a segregação racial em hotéis, restaurantes e outros lugares públicos. Durante uma manifestação, King foi preso, tendo sido acusado de causar desordem pública. Em 1963, liderou um movimento massivo, "A Marcha para Washington", pelos direitos civis no Alabama, organizando campanhas por eleitores negros. Foi um protesto que contou com a participação de mais de 200 mil pessoas que se manifestaram em prol dos direitos civis de todos os cidadãos dos Estados Unidos. A não-violência tornou-se a sua maneira de demonstrar resistência. Foi novamente preso diversas vezes. Nesse mesmo ano, liderou a histórica caminhada em Washington onde proferiu o seu famoso discurso "I have a dream" ("Eu tenho um sonho"). Em 1964, foi distinguido com o Prémio Nobel da Paz. Os movimentos continuaram. Em 1965, liderou uma nova marcha. Uma das consequências dessa marcha foi a aprovação da Lei dos Direitos de Voto de 1965, que abolia o uso de exames que visavam impedir a população negra de votar. Em 1967, King uniu-se ao Movimento pela Paz no Vietname, o que causou um impacto negativo entre os negros. Outros líderes negros não concordaram com esta mudança de prioridades dos direitos civis para o movimento pela paz. Em 4 de abril de 1968, King foi baleado e morto em Memphis, Tenessee, por um branco que foi preso e condenado a 99 anos de prisão. Em 1983, a terceira segunda-feira do mês de Janeiro foi decretada feriado nacional em homenagem ao aniversário de Martin Luther King Jr.

Fonte: www.lutherking.hpgvip.ig.com.br