For A Better Place - Portugal

terça-feira, dezembro 13, 2005

Bob Gueldof premiado em Portugal

O músico activista irlandês Bob Gueldof, organizador do Live Aid e Live 8, voltou a Portugal depois dos MTV Europe Music Awards Lisboa 2005 para receber um prémio das mãos do Presidente da Assembleia da Républica, Dr. Jaime Gama, pelo seu activismo em prol de causas humanitárias.

Postais de natal solidários - Solidarity Christmas postcards

Este Natal, envie postais às pessoas de quem mais gosta e ajude as que mais precisam. Envie postais de natal à família, amigos e colegas de trabalho, e ajude os mais necessitados e carenciados, nomeadamente as crianças.
Por isso, compre os postais de natal da UNICEF ou da Cruz Vermelha Portuguesa, cujos lucros revertem a favor dessas instituições.

terça-feira, dezembro 06, 2005

Vaticano exclui Daniela Mercury do seu Concerto de Natal

A cantora baiana Daniela Mercury tinha sido convidada pelo Vaticano para actuar no seu habitual Concerto de Natal, que conta com a participação de inúmeros artistas de todo o mundo.
O Brasil é o país do mundo com maior número de católicos e Daniela Mercury seria a única artista a representar o Brasil.
O convite foi feito há cinco meses atrás, e agora, no início do mês de Dezembro, o Vaticano excluíu Daniela Mercury do concerto. A justificação do Vaticano é que Daniela Mercury fez uma campanha publicitária no Brasil a favor do uso do preservativo.
Daniela disse que, quando foi convidada pelo Vaticano, não lhe perguntaram sequer qual a sua religião, e muito menos o que é que defendia ou se tinha participado nalguma campanha a favor do que fosse. Daniela disse também que não iria fazer nenhuma declaração no concerto a favor do uso do preservativo ou contra o Vaticano, mas que apenas iria actuar.

O Fiel Jardineiro - The Constant Gardener: The Movie

O filme "O Fiel Jardineiro" (The Constant Gardener) é uma mistura explosiva que só poderia dar certa. Baseado no romance best-seller de John Le Carré, do realizador brasileiro Fernando Meirelles (Cidade de Deus), com o actor Ralph Fiennes (Paciente Inglês, A Lista de Schindler, Dragão Vermelho) como protagonista.
O filme passa-se nos dias de hoje, tem como cenário Londres e uma região africana devastada pela fome, pela SIDA e pela tuberculose, e tem como fio condutor todo o processo de envio de medicamentos contra a SIDA e contra a tuberculose para as populações dessa região africana.
O filme mostra como é que funcionam os governos, as ONG's e as agências humanitárias em cenários como as regiões africanas devastadas pela guerra, pela fome ou pela SIDA.
Contudo o filme vem levantar questões, dúvidas e suspeitas sobre o bom funcionamento e a transparência dessas entidades e das suas acções nesses cenários, em que existem conflitos de interesses.
O filme conta a história de Justin Quayle (Ralph Fiennes), do Alto-Comissariado britânico e professor universitário de Relações Internacionais, que se apaixona e casa com uma aluna, Tessa Quayle, que é uma humanitária activista dos direitos humanos e da justiça e igualdade entre povos. Tessa descobre que o processo de envio de medicamentos contra a SIDA para uma região afriacana não está a ser transparente e envolve-se demasiado para pressionar e até denunciar as entidades envolvidas, e acaba por ser assassinada. Justin, que sempre foi calmo e discreto, e que nunca se envolveu no activismo e nas causas da mulher, vai tentar descobrir o que se encontra por detrás do seu assassinato. Contudo, ao perceber que a teia de pessoas envolvidas é imensa e muito poderosa, que será impossível descobrir quem deu a ordem para matar a mulher, e que o mais certo é ser também ele assassinado antes disso, Justin acaba por desanimar, perder a esperança e as forças. Mas justiça há-de ser feita.
O filme é a confirmação da genialidade de Fernando Meirelles e da grandiosidade do actor Ralph Fiennes.
Um filme como este tem tanta ou mais importância do que um evento como o programa de Oprah Winfrey na África do Sul ou o Live 8 no sentido de sensibilizar os cidadãos para os problemas da sociedade mundial e no sentido de os mobilizar para serem cidadãos preocupados, interessados e activos no que toca a questões humanitárias.